quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

O que podemos esperar de 2016?

 
Olá povo lindo, tudo bem? hoje eu trago, pra vocês, o que podemos esperar de 2016? a minha postagem de ano novo, aqui nós vamos falar sobre os jogos que serão lançados em 2016. Então vamos lá!
Primeiro vamos falar sobre um jogo da Nintendo, sabe por quê? EU AMO A NINTENDO!!!!! mas vocês já perceberam isso, porque eu sempre estou fazendo análises de jogos que foram lançados para os consoles da Nintendo, (exceto o Resident Evil 4, só que eu fiz análise apenas da versão de PS2) e vamos começar cooooooooom:


Star Fox Zero, o retorno de uma das melhores franquias da Nintendo, não tem um jogo novo desde 1997, (na verdade teve o Star Fox Adventures em 2002, que é um clone de Zelda, o Star Fox Assault em 2005, que é de nave como os Star Fox originais, só que com trechos a pé em terceira pessoa, e o Star Fox Command, que ninguém liga e quase ninguém sabe da existência do jogo) finalmente, depois de 19 anos,  uma sequência para lembrar aqueles bons momentos de infância:

Do a barrel roll! ahhhhh! que saudades dessa frase,

mas eu espero que lance o novo Zelda ano que vem,

mais um jogo aguardadíssimo, é o Mighty no. 9, que é um sucessor espiritual de Megaman, se você não sabe o que é um sucessor espiritual, eu vou explicar, é quando uma coisa faz sucesso e depois morre, assim, o desenvolvedor faz algo parecido para pegar o trono de volta, e se você não sabe o que é Megaman,
PROCURA NA WIKIPEDIA SEU(SUA) PREGUIÇOSO(A) !!!!!!!!!  

também tem o Street Fighter V, só que muitas pessoas que jogaram o IV não vão aguardar o jogo, porque o jogo foi lançado nas versões IV, super IV, Super IV Arcade Edition e Ultra IV, sendo que você pode comprar fisicamente ou como DLC no Super IV, e isso fez com que a Capcom perdesse a glória, mas o jogo promete que não vai ter essas versões, a versões do IV foram feitas porque os japoneses não tem costume de comprar DLC, mas fique frio, não é uma mentira (eu acho), e eu sei que a postagem não tá muito boa, mas eu vou terminar mesmo assim, Bye Bye.
Bônus: é claro que não vou acabar a postagem desse jeito, além do mais, saca só: nós vamos fazer um desafio de fim de ano, todo mundo que estiver vendo essa postagem por favor, vamos fazer um desafio, o meu tio faz aniversário nesse mesmo dia, então comentem no G-Mail dele: Feliz Aniversário! mas só pra lembrar, o nome do meu tio é Sérgio Maciel, e ele está sempre comentando nas minhas postagens, achem o G-Mail dele ou esperem ele comentar, aí vocês clicam no nome dele e enviem Feliz Aniversário, #FelizAniversário.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Gamenews: Trajes Fatais, DLCs no Smash Bros e o mistério das patentes

 
Olá, povo lindo, tudo bem? hoje eu trago um Gamenews 3 em 1, as notícias são: 
O jogo Indie (Independent abreviado) Brasileiro que se chama Trajes Fatais, as novas DLCs (Downloadable Content abreviado e no plural) do Super Smash Bros de Wii U e 3DS e o mistério das patentes do novo console da Nintendo, uuuuuu mistério. Então pegue o jornal e leia as notícias. 
Vou começar pelos Trajes Fatais, que é um jogo de luta BR com um jeitão de jogos de luta 2D da SNK, como por exemplo: The King of Fighters, Art of Fighting e Fatal Fury. Fica aí sentado(a) que eu mostro as imagens: 
 
Por enquanto o jogo está com apenas 3 personagens que são: Essa mulher vestida de capeta chamada Lucy Fernandez, entendeu? Lucifer 
 
(sem piada com o capiroto, tá? caso você seja cristão ou cristã); um anjo capoeirista chamado Cristiano Martins, (uma boa opção se você for cristão ou cristã) 
 
e esse nordestino chamado Lourenço Sombra, que fala: "Olha a peixeira!" e também: "Eita cabra da peste!" mas tem algo que esqueci de dizer: o sistema de combate que vou mostrar agora: 
 
O sistema é bem diferente dos jogos de luta já existentes na face da terra, cada personagem só tem um botão de ataque, sendo que os personagens fazem ataque diferentes dependendo da direção e quando você aperta o botão de ataque, também deu pra notar na barra de vida dos personagens, são por bolinhas, não uma barra, sendo que cada vez que você ataca o inimigo, a esfera vai quebrando como vidro. Já os comandos de especiais não são muito complexos: meia lua pra frente e soco, são bem simples como: Frente Trás Frente, Baixo Baixo Ataque, essas coisas. Próxima notícia! 
Agora as DLCs do Smash Bros anunciaram essa que será uma das personagens... 
  
A Bayonetta, parabéns Nintendo! se você não sabe quem é ela, eu vou explicar: Ela é a protagonista de um do mesmo nome, o jogo foi publicado pela Sega e desenvolvido pela Platinum Games, o jogo foi feito pelo tão famoso Shinji Mikami, ele é a mente por trás de jogos da Capcom super famosos, como: Resident Evil e Devil May Cry, por isso o jogo tem muitas semelhanças com Devil May Cry. O jogo Bayonetta foi lançado para PS3 e Xbox 360 logo depois em 2013, a Sega não estava com muito dinheiro pra fazer o jogo, então, ela cedeu os direitos da personagem pra Nintendo, mais ainda sendo desenvolvido pela Platinum Games, até chegar 2014 e ser lançado Bayonetta 2 pra Wii U, e foi um jogo que superou o original em vários aspectos, e também o jogo vinha com um Port do primeiro Bayonetta para o Wii U. Neste ano de 2015 a Nintendo anunciou um evento no site do próprio jogo, chamado: Smash Bros Fighters Ballot, em que você poderia escolher um personagem que gostaria de ter no jogo e a Bayonetta foi a vencedora na Europa, mas lá nos Estados Unidos, ela ficou no top 5 de personagens, então foi considerada a vencedora mundial do Fighters Ballot, mas também terá outros personagens, como:

Esse cara genérico que você não conhece, ainda mais porque ele é de um jogo que por enquanto só lançou no Japão e vai lançar nas Américas e na Europa no ano que vem. O nome do jogo é Fire Emblem Fates, a Bayonetta e esse cara vão ser lançados em fevereiro de 2016. Quem tem um 3DS de qualquer país ou um Wii U americano não é um problema, mas quem tem um Wii U aqui do Brasil pode desistir porque a E-Shop do Wii U não funciona aqui no nosso país. A parte boa é que a do 3DS funciona!
Tem mais um personagem de DLC no Smash que lançou este mês, e éééé.....

O seu tio Cláudio, quis dizer Cloud, do jogo Final Fantasy VII, que é um jogo de PS1, mas você deve estar se peguntado, Se esse personagem é de um jogo de PS1, por que ele estaria em um jogo da Nintendo?! a resposta é porque o jogo dele é o segundo jogo mais vendido do PS1 e por causa disso ele aparece em alguns Spin-Offs (o que não faz parte da cronologia original) que foram lançados para consoles e portáteis da Nintendo, Agora a próxima notícia!
Prepare a sua lupa que é a hora do mistério, o mistério das patentes do novo console da Nintendo, o NX (provavelmente uma abreviação da palavra Next), por enquanto esse é console, mas olhem as patentes:

Esta figura apresenta óculos 3D para aumentar a realidade dos jogos, isso é aquilo que é conhecido como realidade virtual, e olhem isso:

Esse é o formato do console, ele não apresenta um leitor de disco óptico, que é aquele lugar no console onde colocamos o disco no troço, então a mídia física dos jogos provavelmente podem ser um Pen-Drive, porque em um Pen-Drive você pode colocar os arquivos do seu computador,
 
também tem esse troço estranho que eu que não é o controle, pois o controle é este aqui:

um controle que parece com o Gamepad do Wii U só que tem apenas dois botões, e no lugar dos botões L e R, tem barras de rolagem, que nem um Mouse, e também o controle aparenta ser montável,

além do mais, o controle do NX não parece um Game Boy Advance?

e esse troço parece ser um carregador pro controle, não acham? pra falar a verdade isso parece um rádio, não acham?

O console também aparenta ter um sistema de conquistas, que nem o Xbox 360,

e essa patente já mostra que o controle tem um Display de tela livre, que é aquela mesma tecnologia usada em Smartphones, então eu resolvi o mistério, ESPERA AÍ!!!! eu resolvi um mistério?
Yaaaaaaaahooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!! 
eu resolvi um mistério! então o console terá tudo isso! Oh Yeah!
Você curtiu a postagem? comente e compartilhe com os seus amigo e parentes, Bye Bye.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Survial Mode: The Legend of Zelda: Triforce Heroes

 
Olá povo lindo, tudo bem? hoje eu vou criticar um jogo bem moderno, você nem precisa adivinhar qual é por causa do título, só que a Nintendo parou de vender os consoles e os jogos recentes dela aqui no nosso não tão querido Brasil, então você deve estar se perguntando como eu comprei, a resposta é...
a E-Shop do 3DS, se você não sabe o que é isso eu vou explicar, é a loja virtual do portátil onde a gente compra jogos digitalmente no próprio console, sendo que alguns são de graça e outros são pagos, esse aí foi pago, e custou 149 reais. Agora chega de contar baboseira e vamos à crítica.
The Legend of Zelda: Triforce Heroes, é um dos melhores jogos de 3DS do ano, só que ele é pouco Zelda (ainda mais por não ter a Zelda no jogo) - o que pode decepcionar os fãs das série, mas será que ele é bom ou ruim? vamos descobrir.
Vamos começar por um ponto ruim: a história. Todo mundo sabe que os jogos da série Zelda sempre têm histórias fantásticas e incríveis, só que esse aí não tem,

chega até a ser pior do que os dois horrendos jogos de Zelda para CD-I, que nem é um console da Nintendo e muito menos foi feito pela Nintendo. A história é a seguinte:

Era uma vez um reino genérico qualquer chamado Hytopia, onde o destaque principal é a moda. Todos amavam a princesa e sua aparência linda, menos a bruxa The Lady. Ela era irmã mais velha da mulher que trabalha na loja de roupas do reino, ninguém apreciava o seu estilo de moda, então ela jogou um feitiço na princesa do reino, esse feitiço fez ela ficar com uma roupa ridícula e impossível de tirar, o rei ficou preocupado com a sua filha, então ele falou para todos os habitantes do reino, e eles ficaram preocupados também. Um personagem aleatório do jogo organizou uma caça às bruxas, que precisava dos heróis da lenda, que são 3 Links. Os 3 Links vivem altas aventuras procurando pela bruxa.
Bem decepcionante, não é? mas dá um toque de humor ao jogo, mas não que os outros Zeldas sejam engraçados, os outros Zeldas também tem momentos engraçados, mas não quero entrar em detalhes, mas é por isso que eu considero a história do jogo rasa, mas agora vamos falar o que importa: a jogabilidade,

a jogabilidade é o que importa nesse jogo, mas eu vou falar o motivo: A jogabilidade é o foco do jogo, não na história, o jogo foca mais no Multiplayer, então jogue-o com mais dois amigos e se divirtam em tentar passar as fases. A cooperação entre os jogadores é a melhor parte do jogo, os jogadores podem fazer um totem onde ficam montados um no outro como na imagem acima, os 3 podem resolver Puzzles (enigmas ou quebra-cabeça) juntos, como: Em um lugar cheio de água, vocês tentam resolver um enigma juntos, o nível da água está normal, então os jogadores resolvem uma série de Puzzles para aumentar e diminuir o nível da água, eu não sei explicar direito mas eu vou falar o resto, ao contrário dos outros jogos da série Zelda, este aí não tem um mundo aberto pra explorar, esse é divido por fases e mundos, que nem Mario tem 1-1,1-2,1-3,1-4 e 2-1, sendo que cada mundo tem 4 fases, e essas fases são dividas em sub-áreas no esqueminha do Mario que eu falei do 1-1,1-2, sendo que cada jogador tem de ficar com um item, e você só pode jogar o Multiplayer do jogo com apenas 3 pessoas, sendo que pode jogar via Local,Online ou Download. O local é com pessoas que também tem um 3DS; Online com pessoas distantes ao redor do mundo e o Download é com pessoas que tem um 3DS, mas não tem o jogo, só que eu não conheço muitas pessoas que tem um 3DS, então eu tive que jogar Online. Se você já jogou um jogo Online, você sabe que isso é uma tortura, mas se você não tem amigos e quer jogar sozinho(a), tem também o Single-Player, que funciona mais ou menos assim:

Você joga com um Link só, só que você está acompanhado por dois bonecos medonhos do Link, e na tela de baixo do 3DS, você toca no ícone de algum dos dois bonecos, então esse boneco vira um Link, e você pode controlá-lo, pode parecer tedioso, mas isso é bem diferente. O outro esquema do jogo que eu devo mencionar são as roupas,

cada roupa tem uma habilidade especial, sendo que você precisa de material e dinheiro pra fazer na loja de roupas do reino, eu vou dizer as habilidades das roupas da imagem:
A roupa que o Link verde está vestindo, é o vestido da Zelda, isso mesmo que você leu é o vestido da Zelda, o vestido da Zelda permite achar corações com mais frequência, a roupa que o Link azul está segurando é Lucky Lounguewear, essa roupa permite 25% de chances de desviar dos ataques e a roupa que o Link vermelho vai vestir é Cacto Clothes, que permite que cada inimigo que você encoste tome dano, só que você toma dano também, tem mais roupas do que você imagina, aqui vão algumas:

As que eu citei estão aqui, mas tem outras que eu não quero entrar em detalhes, senão a postagem vai demorar 999999999999999999999999999999999999999 anos. Para conseguir os materiais para as roupas, você precisa completar fases, jogar os desafios das fases ou jogar o modo competitivo, os Drabland Challenges, que são os desafios das fases após completar as fases, esses desafios são divertidos e têm materiais que geralmente você não encontra na fase, os desafios consistem em: estourar todos os balões; não cair; passar a fase só com itens e sem espada; se aventurar no escuro,

e mais de 8000!!!! outros desafios, já o modo competitivo, que se chama Coliseum, é o único modo do jogo que podem jogar apenas 2 pessoas, mas dá pra jogar de 3 também, é um modo onde os jogadores tentam matar uns aos outros (não matar uns aos outros, derrotar os outros jogadores) pra conseguir recompensas em arenas que na verdade são os 8 mundos do jogo: floresta, rio de janeiro, vulcão, caverna do dragão de gelo, fortaleza lá no ceará, dunas, ruínas bem ruins e um paraíso no céu, e também tem as mesmas maneiras do Multiplayer cooperativo, local, Online, só que não tem Download, isso é praticamente uma facada nas costas, se você gosta de jogar jogos competitivos com um amigo e esse amigo tem um 3DS mas não tem o jogo, mas você tem, é uma desvantagem do caramba, por quê Nintendo?! por quê?! chega de blábláblá  e vamos ao prós e contras!
+ Co-operação entre os jogadores na campanha e competição entre eles no Coliseum 
+ Single-Player diferente 
+ O esquema das roupas 
+ Drabland Challenges 
- História rasa 
- Sem Download Play no Coliseum 
Nota Final: 8.4 
 
Excelente 
Resumindo: O jogo é pouco Zelda e pode desapontar os fãs da série, mas ele não é ruim, eu não fiquei decepcionado com o jogo quando anunciaram na E3 deste ano, eu fiquei empolgado, porque o esquema do Multiplayer parecia Zelda: Four Swords, sendo que eu comprei o meu 3DS, para comprar um Remaster do jogo que estava disponível na E-Shop, só que quando eu comprei, já tinham sido esgotadas as vendas do jogo, porque era por tempo limitado, então com esse jogo me fez a alegria, por causa disso tudo, mas pra pessoas que nunca ouviam falar da série Zelda ou pessoas que odeiam jogos demorados, esse jogo é perfeito. Se vale a pena ou não, depende de você. 
Você concorda comigo? ou acha que a minha nota deveria ser maior? faça sua crítica e me surpreenda, mas eu não quero ouvir mimimi de algum fã da série xingando esse jogo, se gostou compartilhe (ou não) no seu Google+, Bye Bye.

domingo, 29 de novembro de 2015

Survival Mode Especial: The Legend of Zelda: Ocarina of Time

 
Olá povo lindo, hoje, pra terminar de maneira épica o mês do Nintendo 64, eu vou criticar Zelda: Ocarina of Time, o melhor jogo de todo o U-N-I-V-E-R-S-O, Let it Go, 




"♫ Let it Go, Let it Go, Can't Hold it Back Anymooore!♫" quis dizer Let's go (vamos lá)!
TLoZ:OoT ( o nome do jogo abreviado) foi um sucesso estrondoso, com críticas Super Nintendo Hyper Combo Mega Man Ultra Man positivas, com notas de 9.5 a 10, sendo que a maioria dos críticos deu nota 10, então, o jogo se tornou um sucesso, virou o quarto jogo mais vendido do Nintendo 64 e virou o jogo do ano de 1999, mas será que ele é tão perfeito assim? vamos descobrir...

Primeiro vamos começar pelo enredo, mais eu vou tentar não dar muito Spoiler: Era uma vez um garoto chamado Link, ele faz parte da tribo dos Kokiris, que são tipo umas crianças duendes de roupa verde que nunca envelhecem mas podem morrer, só que Link era diferente, ele não tinha uma fada, então por isso ele era rejeitado, e a única amiga dele era uma garota chamada Saria, um dia, apareceu uma fada irritante chamada Navi (é o meu nome ao contrário), ela foi chamada pela grande Deku Tree para chamar o Link, depois disso, Link e Navi entram na grande Deku Tree e matam monstros, pegam pedras sagradas, conhecem a Zelda e acontece uma montanha de tretas, eu não vou escrever a história inteira porque senão essa postagem vai demorar 1 zitrilhão de anos, se quiser saber mais, jogue o jogo e zere como um verdadeiro homem...
ou uma mulher, se for seu seu caso. Sobre a trilha sonora, podemos dizer que é INCRÍVEL!!!!!!! é agradável, épica




e TUTÔ!!!!! procure no Youtube: o nome do jogo mais OST (Original Soundtrack), não é só a trilha sonora que é tudo isso, os efeitos sonoros também são, a definição perfeita é: INCRIVELMENTE PERFEITOS!!!!!!!!

os efeitos sonoros são incríveis, porque eles são de muita qualidade para um simples jogo de 1998, imagine alguém da época jogando esse jogo e dizendo: UAU!!!! Efeitos sonoros incríveis!!!! além dos efeitos sonoros incríveis, tem também uma jogabilidade incrível que é diferente dos seus antecessores e eu vou explicar como funciona:

Você pode controlar o Link em qualquer direção porque é um típico jogo 3D, o botão B ataca com a espada, você pode fazer combos com espada, na verdade isso é possível nos jogos 2D da série, só que nos jogo 2D ele fazia movimentos iguais, nesse jogo ele faz movimentos diferentes apertando o botão B, o botão R defende com o escudo, nos jogos 2D ele sempre andava com o escudo na frente, e isso era uma vantagem quando um projétil está vindo, na imagem ele também está, só que ele está mirando no inimigo, e é isso que eu vou explicar agora, o botão Z permite focar no inimigo, isso é uma vantagem quando o inimigo é difícil de atacar, principalmente se defender, quando você aperta o botão R, você não pode andar enquanto você está carregando o escudo, só que quando você está segurando o botão R e aperta o botão Z você pode andar, e isso é uma vantagem e uma desvantagem ao mesmo tempo mas eu vou explicar, você pode focar ao simples apertar do botão Z, só que quando tem dois inimigos no mesmo lugar, apertar o botão Z de novo faz com que você foque no outro inimigo, sendo que pra desativar a função é só apertar o botão Z novamente, expliquei, mas vou explicar mais algumas coisas, como a função do botão A que não aparece na imagem acima, mas aparece na imagem abaixo:

O botão A serve para as ações do jogo, tipo tudo: Pegar, Lançar, Rolar, Desviar, Dar mortal, Falar, Comprar, Transar com as suas primas (foi mal) e tudo, algo que é diferente dos jogos 2D da franquia, é que nesse jogo você pode usar 3 itens ao invés de um, isso também é uma vantagem e desvantagem ao mesmo tempo, mais eu vou explicar (meu deus, quantas vezes escrevi essa palavra?):
Os itens de longa distância como o arco, bumerangue e gancho, a vista fica em primeira pessoa, assim, você não pode andar, exceto quando você está focado no inimigo, fazendo isso um ponto mais ou menos, como deu pra notar nas imagens, uma estão em resolução normal, enquanto a outra está em baixa resolução, quando você aperta o Z, o jogo fica em baixa resolução, mas não sei o porquê,  deixa pra lá, os personagens do jogo são marcantes, sendo que o mais marcante  é o próprio protagonista, o resto eu não vou falar porque é Spoiler, e você deve estar se perguntando: por que o protagonista do jogo está maior em uma imagem, se nesta imagem ele parece uma criança? a resposta pra isso é a viagem no tempo que tem no jogo, mas eu não vou falar nada a respeito porque é Spoiler, Vamos ao prós e contras!
+ O melhor enredo de toda a franquia 
+ Personagens marcantes 
+ Trilha sonora perfeita e efeitos sonoros impressionantes 
+ Jogabilidade Perfeita
+ Ciclo de dia e noite
+ Várias Side-Quests 
Nota Final: 
10.0 
 
Perfeito 
Resumindo: É uma ótima escolha para fãs de JRPGS (Japanese Role Playing Game abreviado no plural), Nintendo, jogos antigos, aventura e jogos medievais, um jogo que fez o universo de Zelda adaptar-se perfeitamente ao universo do jogos 3D, e é obrigatório conhecer este jogo se você não conhecia. 
Você concorda comigo ou acha que a minha nota deveria ser menor? faça sua crítica e surpreenda, Bye Bye.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Survival Mode Especial: Super Mario 64

 
Olá povo lindo, tudo bem? eu critiquei o Nintendo 64, agora é vez do jogo mais vendido do console, SUPER MARIO *****NG 64!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! ah, chega de tanta empolgação e vamos à crítica.
Super Mario 64 vendeu 11.62 milhões de unidades e  foi considerado um jogo revolucionário por causa do uso do analógico, da câmera, do castelo da Peach livre para explorar e suas fases grandes com 7 missões ( muitos desses recursos são usados até hoje), mas será que ele é bom? vamos descobrir.
O jogo é diferente dos jogos clássicos do bigodudo, mas eu explico isso mais pra frente, um ponto positivo são os gráficos:

olha como eles são bem feitos pros padrões de 1996, se você comentar: "Ai que gráfico feio!", você tá errado! é porque você não tem respeito pelas antiguidades... já sobre a trilha sonora, podemos dizer que encaixa nos cenários, vocês podem procurar no Youtube: Super Mario 64 OST ( abreviação de Original Soundtrack), como a música da fase Bob-omb Battlefield que esse cenário do GIF,( imagem animada) se encaixa, porque tem bombas e canhões, já as fases aquáticas como Jolly Roger Bay e Dire Dire Rocks, tocam uma bem tranquilha, simbolizando a água. Um outro ponto positivo é a jogabilidade, que é simplesmente genial!
Escrevi no início da postagem sobre as coisas que deixaram esse jogo revolucionário, mas eu vou dizer mais algumas coisas: as fases são grandes e bem construídas e as primeiras fases são memoráveis, já as últimas são as mais geniais, eu diria que o Level Design (construção das fases) é grandioso.

No caso da Tiny-Huge Island, literalmente, o Mario anda em velocidades diferentes de acordo com a pressão do analógico e também é cheio de movimentos como: dar socos e chutes, dar cambalhotas, agarrar objetos, nadar (mas nesse jogo ele não respira de baixo da água como os anteriores), dar bundadas etc. E o  manual do jogo mostra todos esses movimentos, olha:

bem legal, não é? até a maneira de enfrentar o Bowser é genial e eu vou te dizer como: você fica atrás do Bowser pra pegar no(a) rabo/cauda (chame essa ***** como quiser) dele e depois girar pra jogar o Bowser em bombas, bem fácil, não é? só que não, primeiro: você precisa de precisão (não foi um trocadilho) pra agarrá-lo; segundo: girar o analógico que seria girar o(a) rabo/cauda do Bowser, pode estragar o analógico de tão que é letal, e eu escrevi sobre isso na minha postagem anterior. Tem algo que também é genial, que é sobre as estrelas que nos jogos anteriores eram usadas como item de invencibilidade, aqui elas são usadas pra abrir portas tal como chaves,

"Lá vem o Chaves,Chaves,Chaves, todos atentos olhando pra TV! Lá vem o Chaves,Chaves,Chaves, todos aí gostando de se ver!" (piada tosca!), que você pega em missões de cada fase, sendo que no total são 7 missões em cada fase, sem contar as estrelas secretas que você pega em fases secretas ou em áreas do castelo da Peach, o total de estrelas é 120 e o mínimo de estrelas que você pode zerar o jogo é 70 e você pode continuar o jogo pra pegar essas estrelas que estão faltando e isso dá um bom fator Replay, mas se você pegou todas as estrelas e continuou jogando, você pode fazer um outro arquivo salvo no jogo ou deletar os dados do jogo, Chega de blábláblá e vamos aos prós e contras!
+ Bons gráficos 
+ Um grandioso Level Design e um grande castelo pra explorar
+ As músicas se encaixam perfeitamente no cenário 
+ Jogabilidade simplesmente genial 
+ Fator Replay 
Nota Final: 
10.0 
 
Perfeito 
Resumindo: é uma obra-prima dos jogos do Mario e da Nintendo, é obrigatório ter esse jogo no Nintendo 64 e até quem é uma criança da atualidade que joga PS4 precisa conhecer, vale a pena pra todo o universo. 
Você concorda comigo ou acha que a minha nota deveria ser menor? faça sua crítica e me surpreenda, compartilhe essa postagem no seu Google+ e comente se você gostou ou não, Bye Bye.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Survival Mode Especial: Nintendo 64

 
Olá povo lindo, hoje eu anuncio neste Blog, o mês do Nintendo 64, e não há nada melhor pra começar o mês, do que criticar o console, Vamos à crítica! 
O Nintendo 64 é o último console de mesa que usou cartucho, mas por causa disso, ele não vendeu tão bem quanto o seu rival, o Playstation, mas o Nintendo 64 vendeu 32.93 milhões de unidades e foi um console impressionante para a época, por causa de seu Multiplayer para 4 jogadores sem Multitap (um acessório que desponibiliza o Multiplayer até 3 ou mais jogadores)  e seus jogos fantásticos, mas será que ele é bom? vamos descobrir. 
O console inovou por ser o primeiro Videogame da história a ter um analógico, que é aquele troço que você pode controlar os personagens em qualquer direção,

tipo isso (imagem), só que o do Nintendo 64 tinha um problema, o analógico era muito frágil, quando você fazia movimentos bruscos, ou forçados, o analógico quebrava e os personagens dos jogos não podiam mais correr, e isso era um problema, mas pelo menos foi uma boa ideia, vale lembrar que o console tinha os melhores gráficos da época, mas não pense que os cartuchos tinham memória suficiente pra...

Tutô!!!! não cabia muito espaço no cartucho, então, coisas tinham de ser retiradas, e tem jogos que você salva no cartucho mesmo e outros você salva em um tipo de Memory Card (cartão de memória) que você colocava no controle. Não podemos também esquecer os seus grandes títulos:

Super Mario 64, Zelda Ocarina of Time, Pokémon Stadium 1 e 2, Pokémon Snap, Star Fox 64, 007 Goldeneye, Mario Kart 64,

e MAIS DE 8000!!!!!! outros títulos, e todos eles são marcantes.

Sobre o controle: ele não é nem um pouco anatômico, só quem tem 3 braços pode usar esse controle direito, vale lembrar que tem o botão Z atrás, mas a imagem não mostra, e as setinhas amarelas são pra controlar a câmera, mas na maioria das vezes não. Vamos aos prós e contras!
+ Jogos marcantes 
+ Um dos melhores gráficos do mercado 
+ Multiplayer para quatro jogadores sem Multitap 
+/- O analógico é uma boa ideia, porém é frágil 
+/- Alguns jogos salvam no cartucho e outros no Memory Card 
+/- Devido ao console usar cartucho, faltava espaço para a memória dos jogos, mas evita Loadings
- Controle nada anatômico 
Nota Final: 
8.7 
 
Excelente 
Resumindo: É um console muito inovador pra época de 1996, não tem um controle muito anatômico, mas quem liga? a importância são os jogos! e vale a pena ter esse console.
Curtiu? comente nos comentários e compartilhe essa postagem, Bye Bye.